ErótiKo

Livro de visitas


Dossier:Gil Vicente

Guerra no ...

Terrorismo

YouTube





Todas as Koisas

Especial IPVC

Painel controlo
  • Email:
  • Palavra-passe:
  • Lembrar dados
  • Ir administraçào


RTP1
Últimas Galeria
Mais Links
Porque esperas?
Sites Amigos
EuroMilhões



   
   
   
   
   
   

Procura
Na nudez das coisas!
Sondagens
Koisas são?
Ideias?
Opiniões?
Pontos de vista?
Site modelo?
Molho de Grelos?
Anedotas
No médico:
- Não sei o que o senhor tem, só pode ser do álcool !!
- Não faz mal, sr.doutor, volto quando o sr. estiver sóbrio...
Um sonho

Exposição dos artistas do BlogTok
quando?

 

images_1.jpg

Brevemente

Visita:
Klubs
Sistemas
Jumento

- 23Abr2018 00:00:00



 Jumento do Dia

   
Catarina Martins, BE

Catarina Martins acha que decide o que faz o PS só porque assinou um acordo que agora se sente no direito de reinterpretar ou adaptar em função da estratégia política do BE.

«A coordenadora do BE disse este domingo ter a expectativa de que o projeto de resolução sobre o Programa de Estabilidade possa ser aprovado, esperando o voto a favor do PS que ?se manterá comprometido com a atual solução política?. Catarina Martins falava aos jornalistas, em Lisboa, na conferência de imprensa após a Mesa Nacional do BE, órgão máximo do partido entre convenções, recordando que na terça feira vai ser debatido o projeto de resolução do BE sobre o Programa de Estabilidade para que se ?mantenham as metas já acordadas com Bruxelas para o défice? e se possa ?utilizar a folga do crescimento económico para ter serviços públicos mais robustos?.

?Temos a expectativa que esse projeto de resolução possa vir ser aprovado pelos vários partidos e esperamos poder ter o voto do PS nesta matéria porque estamos certos de que o PS se manterá comprometido com a atual solução política e com a ideia fundadora do nosso compromisso, não entre partidos, mas com a população de que aqui estamos para dar prioridade às pessoas?, desafiou.» [Observador]



Fonte: http://jumento.blogspot.com/2018/04/jumento-do-dia-catarina-martins-be.html

SEMANADA - 22Abr2018 13:00:00


A ala pediátrica do Hospital de Santo António aprece a santinha da ladeira da nossa oposição, não há líder que não vá lá pedir uma esmolinha para ao Santo António. Foi o que fez Rui Rio, que foi de Lisboa ao Porto só para dizer que a culpa é do Santo António, só que no seu caso é ridículo, depois de estar tanto tempo no Porto, como autarca ou como político em sabática, nunca reparou no problema.

Depois de uns anos a ter sucesso com o queijo da serra, Jorge Coelho, Coelhone para o povo, volta às lides empresariais na sua Mota e Cia. É uma pena que empresas onde a competitividade se consegue com a qualidade de gestão não ponham os olhos neste gestor criado pela natureza, já que não tem habilitações académicas no ramo. Enfim, Coelhone e a Mota foram feitos um para o outro, ele foi ministro de obras públicas, a empresa vive de obras públicas.

Parece que Helena Roseta vai resolver o problema da habitação à custa das casas devolutas, senhorio que não explique a razão porque uma casa está sem utilidade está tramado. Esperemos que Helena Roseta consiga convencer o governo a fazer o mesmo com todas as formas de património, desde terras a depósitos, quem não usa está lixado, arrenda as terras a quem produza ou empresta o dinheiro a quem lhe der mais utilidade.

Depois de ser a TVI a concorrer com a CMTV, parece que é a SIC do Ricardo Costa a disputar o estatuto de TV mais populista de Portugal. A divulgação dos interrogatórios de alguém que está sendo acusado pelo Ministério Público foi um  dos momentos mais sujos da TV portuguesa. A borrada de Ricardo Costa justifica que o diretor da estação passe a usar fraldas, pois há um sério risco de o homem começar a cheirar a merda.



Fonte: http://jumento.blogspot.com/2018/04/semanada_22.html

- 22Abr2018 00:00:00



 Jumento do Dia

   
Ana Gomes, deputada endinheirada do PS

Talvez por recear ficar esquecida Ana Gomes decidiu dar um ar da sua graça e fê-lo como de costume desde que Sócrates chegou a primeiro-ministro, batendo no ex-governante, aliás, durante os governos presididos por José Sócrates a deputada rica do PS foi a principal voz da oposição, perseguindo o governo do seu partido com o problema dos prisioneiros que foram transportados pelos americanos, cujos aviões pararam nas Lajes para reabastecimento.

Desta vez e quando o país se indignou com a TVI e com a CMTV, a portentosa deputada endinheirada decidiu vir juntar-se à CMTV, SIC, Rosário Teixeira e Carlos Alexandre, condenado Sócrates sem qualquer julgamento e, pior do que isso, querendo envolver o PS numa condenação na praça pública, sem qualquer direito a julgamento e apenas com base nas peças difamatória vertidas na comunicação social.

Se não soubesse que é formada em direito nem acreditaria, ainda que seja óbvio que foi mais fácil tirar a Ana Gomes do MRPP do que tirar o MRPP, os seus valores, os seus métodos e o seu pensamento da Ana Gomes.

«Eurodeputada escreve no Twitter que o PS "não pode continuar a esconder a cabeça na carapaça da tartaruga". E admite ao DN que está a falar dos casos de Sócrates e Manuel Pinho.

"O @psocialista não pode continuar a esconder a cabeça na carapaça da tartaruga. Próximo Congresso é oportunidade p/ escalpelizar como se prestou a ser instrumento de corruptos e criminosos. Pela renegeração do próprio PS, da Política e do País."

A declaração foi feita esta manhã pela eurodeputada do PS Ana Gomes. Falando ao DN, Ana Gomes assumiu que a sua afirmação foi feita "obviamente à luz das revelações" das reportagens da SIC sobre José Sócrates - mas também sobre o que se soube nos últimos dias sobre o ex-ministro da Economia Manuel Pinho (suspeito de corrupção no processo EDP).

Embora criticando, no caso de Sócrates, a divulgação das imagens dos interrogatórios ("as fontes da Justiça que libertaram aquilo praticaram um crime"), a eurodeputada acrescenta que "por muito que condenemos a divulgação, a verdade é que há substância que não pode ser iludida".» [DN]
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «»



Fonte: http://jumento.blogspot.com/2018/04/jumento-do-dia-ana-gomes-deputada.html

MELHOR É POSSÍVEL - 21Abr2018 13:00:00

O ritmo do desenvolvimento tecnológico tanto pode resultar num atraso insuperável como num crescimento acelerado. Se no passado o desenvolvimento era uma longa escada em que se tinha de subir todos os degraus, nos dias de hoje é possível queimar etapas. Veja-se o caso do turismo, há vinte anos um crescimento de metade daquele a que se assiste em Portugal implicava um longo percurso e dispendiosas campanhas de marketing, hoje e muito graças à web, um país pode passar a ser moda de um dia para o outro.

Um bom exemplo destes ?pulos? é-nos dado pelo setor do calçado, no passado era um sector de mão-de-ibra barata, hoje recorre às melhores tecnologias e requer pessoal cada vez mais habilitado, quer nos domínios tecnológicos, quer no do design. O mesmo sucede com outras indústrias, onde graças ao empreendedorismo de empresários capazes de terem vistas mais longas do que a dos dirigentes empresariais que se preocupam muito com o salário mínimo, assistimos ao mesmo fenómeno.

Outro Fenómeno a que assistimos e do qual Portugal pode tirar partido como poucos outros, é a da grande mobilidade do empreendedorismo. O fenómeno não é novo, sucedeu no passado nos EUA, com a concentração de muitas startups na Califórnia, é agora visível à escala mundial. 

Portugal tem condições para beneficiar desta oportunidade única, atraindo empreendedores, empresas e quadros qualificados. Temos qualidade de vida, temos um dos melhores climas dos países do ocidentais, temos boas universidades, temos um ambiente receptivo a estrangeiros. Mas isto não basta, é preciso abordar este problema sem a tacanhez de algumas das personalidades que disseram baboseiras imbecis quando a Google decidiu instalar-se em Oeiras.

É preciso apostar em regiões capazes de  criar concentrações de empresas tecnológicas e isso significa infraestruturas nas telecomunicações, a proximidade de aeroportos e estradas, custos acessíveis na habitação e menos oportunismo do sistema bancário, para não falar da matilha de burocratas, advogados e outros que não perdem uma oportunidade para se armarem em proxenetas.



Fonte: http://jumento.blogspot.com/2018/04/melhor-e-possivel.html

UMAS NO CRAVO E OUTRAS NA FERRADURA - 21Abr2018 00:00:00



 Jumento do Dia

   
Ricardo Costa, jornalista sem lei

Esperemos que Ricardo Costa, diretor de informação da SIC, não se arme em sacerdote da democracia para exigir que António Costa se demita, com o argumento de que o país é uma bandalheira, com estações de televisão como a SIC a ganharem audiências promovendo o regabofe na justiça, não se importando de recorrer a práticas criminosas para usar abusiva e ilegalmente vídeos que não lhes pertencem, nem estão autorizados a fazer render através da sua divulgação.

É uma pena que a matilha ao serviço de Ricardo Costa, a começar pelo falso economista Jorge Ferreira, não sejam tão rigorosos com as ilegalidades e abusos da SIC, como o são com os outros.

«"Aquilo que está em causa é uma divulgação não autorizada de peças de um processo e, portanto, isso constitui crime e estou segura que o Ministério Público tomará as iniciativas necessárias para reprimir a ilegalidade, neste caso tal como faz em outras questões de matéria criminal", disse Francisca Van Dunem aos jornalistas, à margem da cerimónia de inauguração da exposição comemorativa dos 150 Anos da Abolição da Pena de Morte em Portugal.

A SIC e a CMTV divulgaram vídeos de interrogatórios no âmbito do processo Operação Marquês, tendo na terça-feira o Ministério Público (MP) anunciado a abertura de um inquérito para investigar o sucedido.

"Embora o processo em causa já não se encontre em segredo de justiça, a divulgação destes registos está proibida, nos termos do art.º 88º n.º 2 do Código de Processo Penal, incorrendo, quem assim proceder, num crime de desobediência (artigo 348.º do Código Penal)", referiu o Ministério Público numa resposta à agência Lusa.

Questionada sobre o documento enviado ao parlamento sobre possíveis alterações à Lei da Reorganização do Sistema Judiciário (LOSJ) a ministra explicou que "é um estudo técnico, prévio elaborado pelos serviços sobre o qual o próprio ministério ainda não se pronunciou".» [Notícias ao Minuto]

 Grande líder da oposição!

Rui Rio armou.-se em oportunista e foi tirar proveitos políticos da ala pediátrico do Hospital de Santo António, no Porto, para dizer que a culpa é do Sócrates. É uma pena que Rui Rio, que estava tão perto quando Sócrates era primeiro-ministro, nunca se tenha lembrado de ir ao outro lado da rua na qualidade de autarca para visitar o hospital.

Isto não é fazer oposição, é servir-se dos problemas e ser oportunista.

      
 Terá sido culpa do Centeno?
   
«Chegou ao fim a colaboração entre o reconhecido especialista em políticas de Saúde Constantino Sakellarides e o ministro com a pasta, Adalberto Campos Fernandes. O professor catedrático jubilado da Escola Nacional de Saúde Pública liderava há dois anos um processo para modernizar os cuidados assistenciais e saiu por divergências com a governação.

"Demiti-me esta sexta-feira. Enviei a carta ontem ao ministro. Acordos e desacordos são naturais na vida. O ministro não ficou surpreendido e eu também não", disse ao Expresso na manhã desta sexta-feira. Constantino Sakellarides não quis revelar as razões concretas do seu afastamento, justificando que "não estaria a ser decente ao comentar". Ainda assim, explica que "o processo foi evoluindo e que foram surgindo limitações", tornando-se "difícil fazer coisas com utilidade" como era seu objetivo.

Nos últimos dois anos, Sakellarides coordenou a iniciativa SNS Saúde + Proximidade, um processo para modernizar a oferta pública de cuidados à população garantindo o acesso à assistência adequada e no momento certo. A integração de todos os níveis de cuidados, por exemplo entre o domicílio, o centro de saúde e o hospital; e o desenvolvimento da literacia em Saúde eram algumas das metas principais.» [Expresso]
   
Parecer:

Desde a trapalhada do INFARMNED que este "Aldraberto" anda a cair.
   
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»



Fonte: http://jumento.blogspot.com/2018/04/umas-no-cravo-e-outras-na-ferradura_56.html

PROPOSTA - 20Abr2018 13:00:00



Há uns anos, quando era candidato à autarquia de Lisboa, António Costa fez uma gracinha pouco original e promoveu uma corrida entre um burro. A ideia teve a sua graça e, como era de esperar, o burro ganhou. O elogio ao asinino eleitoralista não se deve a qualquer forma de solidariedade, já que na época este humilde palheiro ainda não tinha aberto as portas. Ganhou porque era óbvio e Costa sabia que não podia ganhar.

Nestas corridas com regras viciadas tivemos um programa televisivo que visava humilhar adultos comparando os seus conhecimentos com pequenos génios de 10 anos. O programa tinha como título "Sabe mais do que uma criança de 10 anos?" e foi apresentado em 2007 por Jorge Gabriel. As crianças levavam uma ensaboadela prévia e iam para o programa com as respostas na ponta da língua, invariavelmente sucedia o mesmo que aconteceu na corrida promovida pelo António Costa, os adultos eram enxovalhados.

A propósito destas duas brilhantes ideias do passando, que estão na linha de programas televisivos como a Cornélia, o programa mais idiota da história do país, que quase paralisava o país, para não referir o programa "agora ou nunca", onde um coitado ficou famoso a gritar "ponha, ponha, ponha", chorando baba e ranho, enquanto o mesmo Jorge Gabriel lhe metia uma iguana em cima da careca, também tive uma ideia.

Que eu saiba, Jorge Coelho e Paulo portas só poderão ter estudado gestão se ocasionalmente foram colegas do Miguel Relvas nalguma universidade virtual, nos seus currículos não constam cursos de direito. Também não me parece que emitir despachos, ir a jantares de lombo assado, assinar cartas de demissão e outras pesadas tarefas governamentais qualifiquem alguém para conhecer os letreiros de uma faculdade de gestão, daquelas onde o Passos Coelho não conseguiu entrar.

É por isso que proponho um programa televisivo que juntaria Paulo Portas e Jorge Coelho a estudantes do primeiro ano das diversas faculdade de gestão em testes de avaliação de conhecimentos de gestão empresarial. Sejamos honestos tanto um como o outro pareciam rezes mirandesas cheias da famosa posta a olharem para um palácio. Na política aprende de tudo, mas nada de gestão.

A ida de políticos para negócios em empresas empresas de obras públicas que investem em países que todos sabemos como funcionam, não se explica porque seguindo o esquema ridículo da Independente, os nossos governantes tenham direito a um PhD de Harvard em finanças. Poderão levar um PhD no que quiserem e onde quiserem, mas de finanças é que não acredito.

Estas promoções a grandes gestores ou a catedráticos não é só ridícula, é um atentado contra a democracia porque desprestigia o exercício da política aos olhos dos cidadãos. É por estas e por outras que a extrema-direita está a crescer e os políticos portugueses t~em cada vez menos prestígio.




Fonte: http://jumento.blogspot.com/2018/04/proposta.html

UMAS NO CRAVO E OUTRAS NA FERRADURA - 20Abr2018 00:00:00



 Jumento do Dia

   
Helena Roseta

Helena Roseta ainda sonha com soluções de outros tempos para resolver o problema da habitação, não entende que a solução passa pelo mercado e que são os jovens que há décadas que pagam caro a inexistência de mercado. A lei que agora se pretende aprovar assenta em conceitos de outros tempos e parte do princípio de quem tem uma casa tem deveres especiais que os detentores de outros tipos de património não têm.

«O grupo parlamentar do PS entregou esta quinta-feira na Assembleia da República um projecto de Lei de Bases da Habitação, da autoria da deputada Helena Roseta, presidente do grupo de trabalho parlamentar sobre este tema.  Entre as novidades está a possibilidade dos municípios avançarem para a requisição de casas injustificadamente devolutas, a fim de as colocar no mercado de arrendamento.

Na proposta, o articulado distingue os imóveis públicos em situação de disponibilidade, mas também inclui os imóveis privados ?que se encontrem injustificadamente devolutos ou abandonados, sem prejuízo da manutenção da titularidade da propriedade?, pagando uma indemnização ?a fixar nos termos legais?

?É a primeira vez desde o 25 de Abril que há uma iniciativa de lei de bases para a habitação?, destaca o grupo parlamentar.

?O diploma pretende ser um pontapé de saída para a concretização dessa Lei de Bases da Habitação, há muito desejada?, estando ?aberto não apenas ao debate parlamentar e ao confronto com as iniciativas dos restantes grupos parlamentares, mas também às críticas, sugestões e propostas dos cidadãos, poderes a sociedade civil?, pode ler-se na apresentação do plano.» [Público]

 O que une o BE ao CDS?

Parece que o BE e o CDS acham que os governos devem funcionar como a Igreja e recorrer a frerinhas sem direitos salariais. Se a austeridade impôs cortes de rendimentos de razões éticas ou morais justificam que os membros dos gabinetes governamentais estejam sujeitos quando mais ninguém está?

Esta posição não admira e explica bem porque motivo o CDS é tão de extrema-direita como o BE é de extrema esquerda.

 A anedota do dia

O Coelhone e o Portas vão ser colegas na Mota Engil.

 Proposta

Proponho que os conhecimentos do Coelhone nos mais diversos domínios da gstão empresarial, bem como os do Paulo portas, sejam avaliados num teste feito por professores de gestão e que ao mesmo tempo deles participem alunos do segundo ano de gestão do ISEG, da Católica e da Nova e que os resultados sejam tornados públicos.

      
 Monarquia cubana cria nova dinastia
   
«Proposto na quarta-feira pela Comissão Nacional de Candidaturas (CNE) para assumir a presidência do Conselho de Estado da República de Cuba, Miguel Díaz-Canel foi esta quinta-feira confirmado no mais alto cargo político daquela ilha comunista.

O antigo vice-presidente, de 57 anos, foi aprovado com 603 votos dos 605 deputados da nova Assembleia Nacional do Poder Popular e inicia assim um mandato de cinco anos à frente do Conselho de Estado e do Conselho de Ministros. » [Público]
   
Parecer:

Continua a ser uma monarquia, mas agora os reis serão Canel.
   
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
  
 O PSD mudou mesmo
   
«O projecto de resolução do PSD sobre o Programa de Estabilidade do Governo (2018-2022) recomenda que o Governo prossiga a ?importante redução do défice e da dívida pública?, exige reformas estruturais e critica a estratégia seguida. Mas não suscita expressamente a rejeição do Programa de Estabilidade, ao contrário do CDS que tem uma resolução nesse sentido.

No texto divulgado esta tarde, os sociais-democratas apelam a que o Governo adopte um ?outro caminho de consolidação orçamental? que não esteja assente na ?actual estratégia de aumento da carga fiscal para máximos de sempre?, na ?redução do investimento público para mínimos históricos? que têm estado associados a ?elevadas e arbitrárias cativações? e a um aumento da despesa corrente permanente?.» [Público]
   
Parecer:

Veremos no que dá esta mudança.
   
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «»

 É a economia estúpidos
   
«A Câmara de Lisboa colocou em leilão oito apartamentos reabilitados na zona da Ajuda pela empresa municipal Sociedade de Reabilitação Urbana (SRU). Mas a procura foi grande e maior ainda a oferta que de acessível nada teve. Houve candidatos dispostos a pagar mais do dobro do que que a base de licitação do valor estipulado. Num T1 de 350 euros houve quem se propusesse a pagar mais de 700 euros por uma cave com 48 metros quadrados ou mais de 900 por um T2 triplex com 77 metros quadrados cujo valor base era de 500. Os resultados foram afixados e o concurso dado como fechado.

Depois de contactada pelo DN, a autarquia garantiu que vai mandar anular esse procedimento: "O concurso para arrendamento de fogos promovido pela Sociedade de Reabilitação Urbana (SRU) não cumpre os princípios nem os critérios do Programa Renda Acessível (PRA). Este concurso vai, pois, ser anulado pela CML e vai ser lançado outro novo que respeite na íntegra princípios e preços do PRA." A autarquia assegurou ainda que "vai averiguar as razões deste procedimento da SRU tirando daí as devidas consequências".

A violação dos princípios do PRA é clara. Segundo informação publicada no site da CML, o Programa de Renda Acessível visa a "regeneração urbana e o rejuvenescimento da cidade". Em 15 locais da cidade serão construídos entre cinco e sete mil fogos de várias tipologias "com rendas entre 250 e 450 euros, muito abaixo dos valores praticados no mercado".» [DN]
   
Parecer:

E agora?
   
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «Pergunte-se ao Coelhone se vai trabalhar diretamente com Paulo Portas.»

 O regresso do filho pródigo
   
«Jorge Coelho foi nomeado vice-presidente do conselho de administração da construtora Mota-Engil, segundo informação prestada pela construtora à CMVM.

O nome do antigo ministro socialista consta do ponto nove da ordem de trabalhos da assembleia geral de acionistas agendada para o dia 11 de maio e que vai deliberar sobre a composição dos órgãos sociais da Mota-Engil para os próximos quatro anos, segundo um comunicado divulgado esta quinta-feira.

Além de Jorge Coelho, vão assumir a vice-presidência do conselho de administração da construtora Gonçalo Moura Martins e José da Costa Figueiredo. António Mota assumirá o cargo de presidente, conforme indica o ponto 10 da ordem de trabalhos.» [Expresso]
   
Parecer:

O homem voltou a estar na mó de cima.
   
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»



Fonte: http://jumento.blogspot.com/2018/04/umas-no-cravo-e-outras-na-ferradura_20.html

JORNALISMO EXEMPLAR - 19Abr2018 13:00:00

Quando leio na comunicação social notícias que poem em causa a credibilidade de políticos questiono-me sobre se além dos nossos procuradores, também os jornalistas foram inoculados com uma vacina especial que os torna em sacerdotes livres de pecado. Parece que estes seres puros chamaram a si a tarefa de purificar a democracia, descobrindo que vem a bola com convites ou quem anda a receber gorjeta duas vezes.

A propósito da última grande descoberta do Expresso, veio-me à memória uma notícia em tempos abafada, dando conta que a EDP tinha convidado um rebanho de jornalistas para irem ver o Rock in Rio. Mas como se tratava de gente chunga, não podia ima ao Rock in Rio de Chela e jogar à lerpa num canto escondido do parque da Bela Vista, tiveram de ir a Las Vegas com tudo pago. Lembro-me muito bem de nesse tempo ler no Expresso artigos laudatórios da EDP e de Mexia.

Este tipo de casos repete-se na nossa comunicação social e explica porque motivo algumas personagens com quem quer ninguém quer agora ir à missa nas capelas privativas, andavam no passado com todas as partes luzidias graças às lambedelas do jornalismo. Quem não se lembra da ameça de Ricardo Salgado de deixar de dar de comer ao pessoal da Impresa, se continuassem as notícias sobre o mensalão? Pinto Balsemão ainda formulou a competente afirmação de independência, mas o assunto foi abafado ainda mais depressa do que o ataque químico ao espião russo.

Dantes não existiam escolas de jornalismo, os jornais eram propriedade de patrões que punham e dispunham nas redações e os nossos jornais foram exemplos de luta pela democracia. Agora, com tanta preocupação com a independência e a deontologia, fico abismado ao ver tantos jornalistas esforçando-se por denegrir a democracia. Pior ainda, todos os dias vemos na comunicação social sinais de corrupção, desde a promiscuidade com agentes da justiça, à graxa a empresas e patrões que gerem grandes orçamentos publicitários, passando pelos almoços discretos entre diretores de jornais e agentes dos poderes, acabano na promiscuidade entre jornalismo e o mundo duvidoso da bola, com jornalistas a converterem-se em pequeninos Goebbels ao serviço de presidentes manhosos.

É pena que os nossos jornalistas que todos os dias tentam passar a imagem de uma democracia de políticos corruptos, não comecem por mostrar que a instituição da democracia que mais está corroída pela promiscuidade é precisamente a comunicação social.



Fonte: http://jumento.blogspot.com/2018/04/jornalismo-exemplar.html

UMAS NO CRAVO E OUTRAS NA FERRADURA - 19Abr2018 00:00:00



 Jumento do Dia

   
Pedro Santana Lopes, advogado

Parece que Pedro Santana Lopes, que disputou a liderança do PSD na qualidade de marioneta dos passistas, considera agora que tem direito a metade da liderança do PSD e que tudo o que se decide tem de passar pela sua aprovação. Ridículo.

«"Confirmo que não tem havido trabalho em conjunto", reconheceu esta terça-feira à noite Pedro Santana Lopes à SIC Notícias, quando questionado se está em "rota de colisão" com Rui Rio. "Na verdade, nem se pode chamar rutura, pois nunca houve sequer um casamento", sublinhou ainda, acrescentando que "desde o congresso do PSD, durante o qual se tentou algum trabalho em conjunto na elaboração das listas, nada mais existiu".

A gota de água foi o anúncio da equipa de coordenadores e porta-vozes do Conselho Estratégico Nacional (CEN), o novo organismo do partido, onde não consta qualquer um dos nomes apontados por Santana. O ex-líder social-democrata deu como exemplo o nome do embaixador Martins da Cruz e de Vítor Rosário Cardoso, cuja inclusão no Conselho Estratégico "tinha ficado acordada" e nada aconteceu. "O líder do PSD tem que seguir o seu caminho", frisou. Negou, no entanto, que que tivessem intenção de liderar um movimento de oposição interna: "Não posso, nem quero. Tenho uma vida muito ocupada e, sinceramente, já dei para esse peditório", assinalou.

De acordo com João Montenegro, ex-diretor de campanha de Santana Lopes, o acordo estabelecido no congresso entre as duas candidaturas à liderança do PSD contemplava a integração de nomes indicados pelo candidato vencido (com 45,6% dos votos), quer no Conselho Nacional do partido, quer no Instituto Sá Carneiro e no Conselho Estratégico Nacional (CEN) - os nomes "foram viabilizados pelo dr. Rui Rio e pelo dr. Salvador Malheiro". "Ficámos espantados por nenhum desses nomes indicados por nós ter integrado os porta-vozes e coordenadores" do CEN, sublinha o antigo secretário-geral adjunto, apontando uma "quebra do acordo celebrado".» [DN]

      
 Só agora é ficou desagradada?
   
«A procuradora-geral da República disse, esta quarta-feira, ter ficado desagradada com a divulgação, na televisão, de vídeos dos interrogatórios da Operação Marquês, no âmbito do qual o Ministério Público (MP) acusou, entre outros, o ex-primeiro-ministro José Sócrates.

"O Ministério Público e a procuradora-geral ficam sempre desagradados quando veem factos que constituem a prática de um crime", afirmou aos jornalistas Joana Marques Vidal, à margem de um seminário sobre maus tratos de crianças, em Leiria.

A SIC e a CMTV divulgaram vídeos de interrogatórios no âmbito do processo Operação Marquês, tendo na terça-feira o Ministério Público (MP) anunciado a abertura de um inquérito para investigar esta situação.

"Embora o processo em causa já não se encontre em segredo de justiça, a divulgação destes registos está proibida, nos termos do art.º 88º n.º 2 do Código de Processo Penal, incorrendo, quem assim proceder, num crime de desobediência (artigo 348.º do Código Penal)", refere o MP numa resposta à agência Lusa.» [DN]
   
Parecer:

Não deve ter reparado no que se passou antes. Enquanto o processo esteve em segredo de justiça ninguém se queixou.
   
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «Dê-se a merecida gargalhada.»
  
 Bretin
   
«A Câmara dos Londres desafiou o Governo de Theresa May, ao aprovar uma emenda à proposta de lei para saída da União Europeia que exige ao Governo britânico que explore a possibilidade de manter a união aduaneira com a UE, mesmo após o ?Brexit?, e relatem os resultados dos seus esforços até ao fim de Outubro.

Com 348 votos a favor e 225 contra, esta emenda é mais um embaraço do que realmente um entrave para Theresa May ? o parecer dos Lordes não tem poder vinculativo. Além disso, é sabido que a Câmara dos Lordes, onde os cargos são herdados ou obtidos por nomeação por mérito, é pró-europeísta, ao contrário da Câmara dos Comuns, para a qual os deputados são eleitos por sufrágio directo.

Ainda assim, 24 conservadores dos Lordes votaram a favor desta emenda, diz o Guardian. Os apoiantes da manutenção do Reino Unido no mercado único após o ?Brexit? esperam a dimensão da maioria na Câmara do Lordes ? 123 deputados ? sirva para impedir a câmara baixa do Parlamento de reverter esta decisão» [Público]
   
Parecer:

Andam, andam e ainda pedem para voltar.
   
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»



Fonte: http://jumento.blogspot.com/2018/04/umas-no-cravo-e-outras-na-ferradura_19.html

O MRPP NA JUSTIÇA PORTUGUESA - 18Abr2018 13:00:00

Olhando para os nossos justiceiros de hoje sinto-me a recuar aos tempos da revolução cultural chinesa, um tempo em que primeiro se escolhia quem era merecedor de uma  condenação, depois promovia-se o enxovalho em público, exibia-se a vítima numa tentativa de desmoralizar a vítima e destruir a sua credibilidade pública, os dazibaos, os tablóides dessa época, dedicavam paredes e paredes a denunciar os supostos criminosos, que eram condenados depois de julgamentos que não passavam de farsas pois a justiça limitava-se a fazer o que povo queria, condenar.

Esta metodologia está muito presente e ainda hoje é comum, quando o atual ditador da Coreia do Norte ascendeu ao poder, decidiu eliminar aqueles que o poderiam incomodar, a começar por um tio. O homem foi acusado de todos os prazeres proibidos, desde a luxúria até gostar de meninas. No final o julgamento e a execução foram meros passos burocráticos.

Mas não foi apenas o tio do ditador a ser executado, todos os seus familiares e próximos foram perseguidos. Um método muito antigo e presente em todas as épocas, Marquês de Pombal fez o mesmo com os Távoras e ainda mandou salgar o terreno onde ficava o palácio. Também por cá, quem tiver sido namorada, apoiante, ministro, blogger apoiante ou simplesmente amigo de alguns arguidos, é merecedor da humilhação pública, perseguido pela difamação dos justiceiros que mandam para os tabloides pormenores picantes que sugerem comportamentos pecaminosos.

A nossa justiça tresanda a MRPP, sente-se isso nos métodos, percebe-se nos poderes que querem ter, na forma como difamam uma boa parte dos políticos, nas atoardas moralistas que pregam em programas televisivos, até nesse tique agora muito comum de que a justiça ataca os mais poderosos. Aqui junta-se o extremismo do MRPP com o falso moralismo cristão, a velha máxima de que ?mais fácil um camelo passar pelo fundo duma agulha, do que entrar um rico no reino de Deus? (Mateus 19:24) consegue a fusão entre o jihadismo típico do MRPP com o falso franciscanismo de muita gente, como se as velhos empedernidos do MRPP e beatas se juntassem numa estranha cruzada contra o poder.

Não deixa de ser curioso que aqueles que dizem querer defender a democracia, tal como a Constituição o determina, em vez de buscarem boas referências democráticas em matéria de justiça, optam por imitar e querer copiar os métodos da justiça brasileira, uma justiça herdade dos coronéis e que a maioria dos que se preocupam com os direitos humanos e a justiça a condenam como muito duvidosa nos métodos. Não admira que um juiz de instrução queira ser famosos condenando em vez de garantindo a defesa dos direitos de quem é perseguido. 

Compreende-se que por cá queira adotar os meios de prova usados pela justiça portuguesa e se imitem os juízes brasileiros na forma como usam a comunicação social. Infelizmente esta degenerescência na nossa democracia, este abcesso do MRPP na nossa justiça mesmo depois de ser lancetado vai deixar os seus maus princípios disseminados, levará muito tempo a eliminar estas metástases. Tal como foi mais fácil tirá-los do MRPP do que tirar o MRPP deles, vai ser mais fácil tirar a justiça do MRPP do que o MRPP da justiça. Já passaram mais de 40 anos depois do 25 de abril e ainda vamos ter de esperar muitos mais para limpar a justiça das heranças de Salazar e do MRPP.



Fonte: http://jumento.blogspot.com/2018/04/o-mrpp-na-justica-portuguesa.html

UMAS NO CRAVO E OUTRAS NA FERRADURA - 18Abr2018 00:00:00



 Jumento do Dia

   
Mário Centeno, ministro das Finanças

Enquanto a comunicação social dava conta de que em 2019 não haveriam qualquer aumento dos vencimentos da função pública Mário Centeno não sentiu necessidade de tomar posição, para além do que tinha feito constar. Agora que o debate está conspurcado com as posições oportunistas de Assunção Cristas e depois de António Costa vir abrir a porta a uma mera atualização de um ano, Centeno dá cambalhoras e nunca digas nunca. Pois é, o melhor seria nunca dizer asneiras ou frases dúbias.

É uma pena que o sucesso governamental nas finanças se esteja a perder devido a sucessivos erros de comunicação num sector onde o governo parecem apostar no amadorismo.

«O ministro das Finanças, Mário Centeno, não coloca de lado a possibilidade de aumentos na função pública em 2019. "Nunca me ouviu dizer a palavra nunca e também não vai ser agora", disse, em entrevista à TSF.

O governante recorda o que o Governo tem feito na área da administração pública. "Nós anunciámos que iríamos fazer e começar um programa de recrutamento na administração pública. Para áreas que têm estado muito fechadas, digamos assim, em termos de admissões nos últimos anos. É um caminho que está a ser feito, vai continuar a ser feito, e os equilíbrios que forem encontrados no âmbito do orçamento de 2019 ditarão qual é o seu desenho final", salientou.

Assegurado está o descongelamento de carreiras. "No Orçamento de Estado para 2019 [OE] posso-lhes garantir que o descongelamento das carreiras vai prosseguir, e isso é visível no quadro que foi incluído no Programa de Estabilidade, e isso significa quase 400 milhões de euros de aumento das despesas com o pessoal e, portanto, os funcionários públicos vão ter um aumento no ano que vem, isso é garantido", referiu Centeno.

Sobre os aumentos reais de salários, o ministro responde: "Este aumento é superior ao da inflação, a despesa com pessoal vai aumentar acima da inflação, garantidamente já com os compromissos que temos assumidos em 2019". Garante que o Governo preocupa-se "com as questões da redistribuição" e que estas "estão a ser tratadas com muita atenção". "Temos medidas, que foram já implementadas este ano, para aqueles trabalhadores que ganham salários mais baixos e cujas posições foram, digamos assim, absorvidas pela evolução do salário mínimo. O governo fez questão de, para esses que iam ser progredidos, haver uma valorização salarial adicional" afirmou na entrevista que foi hoje difundida.» [DN]

      
 O Feliciano volta a estudar
   
«Feliciano Barreiras Duarte disse que nunca beneficiou do estatuto de ?visiting scholar? na Universidade de Berkeley para nada, mas a Universidade Autónoma de Lisboa acaba de desmenti-lo. A comissão científica do Departamento de Direito deliberou esta segunda-feira que se o antigo secretário-geral do PSD quiser continuar a frequentar o doutoramento em Direito vai ter que voltar às aulas. Numa avaliação dura, o departamento diz ainda que o aluno ?induziu em erro? a instituição e que o facto de ser ?visiting scholar? em Berkeley foi mesmo o ?fator de excelência? que lhe permitiu dispensar a parte letiva do doutoramento. Só falta mesmo a ratificação do Conselho Científico, que reúne no início de maio.

A Comissão Científica de Direito, numa deliberação à qual o Observador teve acesso, entendeu assim que o estatuto de ?visiting scholar? foi ?um fator determinante? para Feliciano Barreiras Duarte ter dispensado a frequência das aulas de doutoramento. Ou seja: ?Sem menção do candidato relativa ao estatuto de ?visiting scholar? não tem cabimento a dispensa do ciclo de estudos?. Desta forma, o candidato só pode continuar a ter o estatuto de doutorando se voltar a frequentar as aulas.» [DN]
   
Parecer:

Só lhe faz bem.
   
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»
  
 Aconselhador genético?
   
«Se a proposta do Bloco de Esquerda (BE) for aprovada, em breve Portugal vai poder contar com uma nova profissão: a de ?aconselhador genético?. Num projecto de resolução que acaba de dar entrada na Assembleia da República, os bloquistas recomendam ao Governo que reconheça e regulamente a profissão de técnico de aconselhamento genético, alegando que esta existe já em muitos países.

Lembrando que em Portugal algumas doenças neurológicas têm uma frequência ?particularmente elevada?, os deputados do BE defendem que é "inequívoca" a necessidade de integração deste novo profissional "como técnico de saúde nos serviços de genética e serviços clínicos interdisciplinares".» [Público]
   
Parecer:

Um dia destes ainda vamos ter a raça luzitana.
   
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

 Deputados nacionalista da Catalunha cantam a Grândola
   
«A intervenção centrou-se no que Portugal e Espanha alcançaram desde a democracia. "Só em democracia podemos ser o que realmente queremos ser", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa nas Cortes Gerais, ouvido pelos membros da Câmara dos Deputados e do Senado de Espanha, em Madrid. "Só com a democracia e a integração europeia encontrámos o equilíbrio entre identidades, instituições, pessoas", continuou o Presidente português. Marcelo não se referia seguramente às aspirações independentistas dos catalães mas estes tinham preparado com antecedência um momento especial para a visita do chefe de Estado português.

Marcelo já tinha sido aplaudido de pé à chegada pelos membros de todos os grupos parlamentares. O mesmo aconteceu no final, mas, entre aplausos, os deputados e senadores da ERC (Esquerda Republicana da Catalunha) e do PDeCAT, o partido do ex-líder catalão Carlos Puigdemont, de cravo amarelo na mão, começaram a cantar a Grândola vila morena.» [Público]
   
Parecer:

Parece que Marcelo não tem o dom para o canto que tinha o Miguel Relvas.
   
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «Ensine-se a Grândola Vila Morena a Marcelo.»



Fonte: http://jumento.blogspot.com/2018/04/umas-no-cravo-e-outras-na-ferradura_18.html

ESTOU FARTO DESSA IMBECIL - 17Abr2018 13:30:00

Questionada sobre a questão dos aumentos de vencimentos dos funcionários públicos, uma conhecida imbecil respondeu que é contra, que antes de aumentar os vencimentos dos funcionários deveria ser reduzida a carga fiscal. Acrescentou com aquela cara de parva que diminuindo os impostos os funcionários públicos também seriam beneficiados.

Para esta senhora atualizar os ordenados dos trabalhadores do Estado ou diminuir os impostos são medidas alternativas. Também poderia defender, por exemplo, que em vez de atualizar os vencimentos defende a sua redução, devendo as poupanças serem investidas nas estradas, os funcionários públicos também sairiam beneficiados pois andam de carro.

Esta senhora insiste em considerar os funcionários públicos como uma mera despesa, dependendo o seu bem-estar de estratégias eleitoralistas deste ou daquela imbecil. Ignora que os funcionários públicos estão há quase uma década sem qualquer atualização profissional, que durante muitos anos não beneficiaram de qualquer profissão e, pelo meio, um governo de velhacos onde estava a imbecil, ainda lhes eliminou os subsídios e cortou nos vencimentos.

Esta senhora insiste em atirar portugueses contra portugueses julgando que desta forma consegue mais votos, mesmo depois de desaparecidos os ideólogos do governo dos velhacos, insiste em ser a fiel depositária do pior que se pensou e fez durante o governo a que pertenceu e onde só ficou conhecida pelo dress codé dos homens do seu ministério, que deixaram de usar gravata para poupar no ar condicionado.

Convencida de que vai ultrapassar os votos do PSD e animada por uma sondagem da Aximage a senhora continua com o seu estilo de Le Pen do Restelo, agredindo uns e ofendendo outros, transformando as suas baboseiras de ressabiada do Rossio em programa eleitoral.



Fonte: http://jumento.blogspot.com/2018/04/estou-farto-dessa-imbecil.html

UMAS NO CRAVO E OUTRAS NA FERRADURA - 17Abr2018 00:00:00



 Jumento do Dia

   
Paulino Ascensão, um rapazola de princípios

O gesto foi bonito e punha em causa os seus colegas que tal como ele pensavam não estar a cometer qualquer ilegalidade. Mas, afinal, o gesto não passa de mero oportunismo, a sua saída já tinha sido anunciada recentemente pelo próprio, como noticia o Expresso. É o moralismo da treta dos bloquistas no seu melhor.

«O deputado do Bloco de Esquerda Paulino Ascenção, eleito pelo círculo da Madeira, apresentou esta segunda-feira a sua renúncia ao cargo na sequência da manchete de sábado do Expresso, sobre deputados das regiões autónomas que são reembolsados por viagens que não pagam. "Sendo um dos deputados visados, considero, após reflexão, que esta foi uma prática incorreta. Quero, por isso, apresentar o meu pedido de desculpa", refere o deputado na nota de demissão, enviada esta manhã às redações.

"Por considerar que o exercício do mandato parlamentar tem de ser pautado pelo mais absoluto rigor e por inabaláveis princípios éticos, decidi, em coerência, renunciar ao mandato de deputado na Assembleia da República", explica Paulino Ascenção, revelando ainda que irá "proceder à devolução da totalidade do valor do subsídio de mobilidade" que auferiu enquanto exerceu funções no Parlamento.

"Não sendo possível a sua devolução ao Estado português, este será entregue a instituições sociais da região da Madeira, círculo eleitoral pelo qual fui eleito", conclui a nota do deputado bloquista.» [Expresso]

      
 PS desce nas sondagens
   
«As expetativas dos portugueses em relação ao Governo estão mais baixas, as intenções de voto no PS caíram e a popularidade do primeiro-ministro também já conheceu melhores dias. Estas são três das principais conclusões da sondagem da Aximage para o Correio da Manhã e o Jornal de Negócios, segundo a qual os socialistas estão mais distantes de uma maioria absoluta do que há um ano.

A sondagem revela que 38% dos inquiridos têm intenção de votar no PS, uma preferência que parece estar a diminuir: eram 39,2% em março, 40,6% em fevereiro e 42% há precisamente um ano. Isto significa que os socialistas, mesmo reunindo os votos suficientes para ganhar eleições, continuariam a precisar do apoio de outros partidos para garantir uma maioria parlamentar.

Nesta avaliação, o CDS de Assunção Cristas tem a maior subida nas intenções de voto, passando de 5,4 para 7%. Ainda assim, continua em quinto lugar numa lista em que a CDU (PCP e PEV) sobe ligeiramente (de 7,4 para 7,7%), mas não o suficiente para ultrapassar o Bloco de Esquerda, que se mantém com 10% das intenções de voto.» [Observador]
   
Parecer:

Parece que os sucessos orçamentais fazem mais mal do que os incêndios à imagem do governo.
   
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «Medite-se.»
  
 Argumento da treta
   
«O primeiro-ministro considerou esta segunda-feira extemporâneo colocar agora a questão sobre aumentos da função pública em 2019, mas não fechou completamente a porta a que possam acontecer, para além do descongelamento das carreiras.

?Ninguém pode acusar este Governo de ter tido uma atitude negativa relativamente à Administração Pública, pelo contrário: temos tido uma preocupação de valorização permanente da AP?, afirmou o líder do executivo aos jornalistas no final da sessão de abertura do seminário dos cônsules honorários na Fundação do Oriente, em Lisboa.

Costa sublinhou que já foi eliminada a totalidade dos cortes dos vencimentos, salvo aos titulares de cargos políticos, e que está a decorrer o descongelamento das carreiras. ?Desde o início da legislatura, todos os anos os funcionários públicos têm visto a aumentar os seus rendimentos, e assim será para o ano, quanto mais não seja com a prossecução do processo do descongelamento das carreiras?.

?Se será necessário ou se justificar outras formas, será discutido na altura própria, mas não vale a pena discutir já isso?, acrescentou, dizendo que a seu tempo o Governo "olhará para o Orçamento do Estado" para 2019, sendo "extemporâneo colocar-se em Abril de 2018" a questão de um aumento dos salários da função pública no próximo ano.» [Público]
   
Parecer:

Alguém terá de perguntar ao Dr. António Costa o que terá o cu que ver com as calças, porque motivo o descongelamento progressivo e a aprazo de carreiras que foram congeladas há quase uma década são uma alternativa à atualização dos vencimentos dos funcionários públicos.

É bom que António Cota não se baralhe, tudo o que ele julga que deu aos funcionários públicos estava decidido que tinha de ser dado antes dele chegar a primeiro-ministro, a reposição dos vencimentos não foi o resultado da sua generosidade mas sim consequências de acórdãos do Tribunal Constitucional. De resto todos sabemos quem é que dentro da Geringonça mais exigiu a aceleração deste processo.

Os funcionários públicos não ganham mais, apenas perdem menos, porque na verdade continuam a perder. Seria bom que o primeiro-ministro tivesse mais respeito pelos funcionários públicos, não usando raciocínios que parece pressuporem a estupidez alheia.

António Costa está fazendo em pequenas doses o que Passos Coelho fez de uma assentada, sem atualizar os vencimentos em função da inflação o governo está a reduzir o rendimento da Função Pública em prestações suaves.
   
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «Sugira-se a António Costa que agradeça aos funcionários públicos uma parte dos resultados orçamentais.»



Fonte: http://jumento.blogspot.com/2018/04/umas-no-cravo-e-outras-na-ferradura_17.html

CALOTEIROS VIP - 16Abr2018 13:00:00

Se um funcionário da AT for considerado responsável por uma dívida fiscal por cobrar é alvo de um processo disciplinar, se em concluiu com um contribuinte permitir que uma dívida fiscal fique por cobrar será alvo de um procedimento criminal, é detido numa mega operação, o seu nome aparece nas primeiras páginas, é provável que fique em prisão preventiva.

Se um contribuinte não cumprir as suas obrigações fiscais será perseguido pelo Estado, o seu ordenado é penhorado, o seu património poderá ser vendido, enquanto a dívida não prescrever tudo isto poderá suceder-lhe, andará anos sem poder ter contas bancárias, só andando à margem da lei se escapa dos mecanismos de cobrança do Estado. Tudo isto sucede independentemente do montante da dívida.

Mas se a dívida for à CGD ou ao BES e tiver sido considerada incobrável o nosso caloteiro até pode convidar o responsável do Novo Banco ou da CGD para um almoço, no fim pedirá a competente fatura, depois serão os contribuintes, incluindo aquele que tem a casa penhorada, a compensar com os seus impostos, as deduções fiscais do almoço do caloteiro. Se alguém deve impostos é um caloteiro vulgar, mas se dever milhões a um banco cujo capital teve financiamento público é um caloteiro VIP.

Há uns tempos falava-se muito de investigações aos créditos concedidos pela CGD, todos sabemos como foram conseguidos muitos financiamentos, no dia a dia todos os portugueses sabem de um financiamento duvidoso a um negócio que faliu ou ficou por lançar. Todos sabemos das casas de luxo e dos carros de topo de gama comprados com créditos duvidosos, todos conhecemos alguém com um grande calote na banca.

Mas não houve um único gerente ou responsável pela gestão do crédito da CGD que tenha sido chamado à pedra, tudo ficou na mesma. O Dr. Macedo conseguiu um milagre que já tinha alcançado no passado, faz esquecer as suspeitas e todos os responsáveis dos serviços ficam com o lugar garantido até à oportunidade, são branqueados desde que trabalhem para o sucesso do Dr. Macedo.

É inaceitável que o Estado tenha dois pesos e duas medidas, na AT os contribuintes levam pela medida grossa., mesmo que as dívidas sejam resultado de dificuldades económicas. Na banca há milhares de milhões que ficaram por cobrar e foram compensados com o dinheiro dos impostos, o tal dinheiro que é cobrado nem que para isso uma cassa de habitação seja vendida para recuperar uma dívida fiscal de meia dúzia de euros.

Porque razão os créditos supostamente incobráveis não resultam na responsabilização disciplinar ou, se for caso disso, criminal dos que os concederam? Porque motivo não é o fisco a cobrar os créditos incobráveis que de uma forma ou outra foram compensados com aumentos de capital financiados pelos contribuintes?


Fonte: http://jumento.blogspot.com/2018/04/caloteiros-vip.html

UMAS NO CRAVO E OUTRAS NA FERRADURA - 16Abr2018 00:00:00



 Jumento do Dia

   
Rui Rio, líder amnésico

É necessário ter muito descaramento ou mesmo lata para que se acuse este governo de não aumentar os funcionários públicos para poder ajudar a banca. Nunca alguém ouviu Rui Rio vir a público criticar o corte dos rendimentos dos funcionários públicos e muito menos apoiar este governo contra na decisão de repor os vencimentos de forma mais rápida do que o defendido pelo seu partido.

Há pouco tempo Rui Rio declarou apoio às política de Maria Luís Albuquerque e até defendeu que se deveria ir mais longe na redução do défice, disse mesmo que com ele haveriam superávites, discurso incompatível com a generosidade de que agora se di defensor. Rui Rio é presidente do PSD e por isso é o fiel depositário das políticas passadas e, em especial, das mais recentes. Nem sequer pode invocar discordância em relação a essas políticas, nunca as criticou e agora não se poder armar em objector de consciência.

Sugerir que os funcionários públicos não serão aumentados por causa do Novo Banco é esquecer que foi o seu partido que criou a situação deste banco e durante muito tempo defendeu que a solução não teria custos para os contribuintes.



Fonte: http://jumento.blogspot.com/2018/04/umas-no-cravo-e-outras-na-ferradura_16.html

SEMANADA - 15Abr2018 13:00:00

Nenhum partido deseja eleições antecipadas, quem as desencadear corre um sério risco de perder muito mais do que julga que vai ganhar. Mesmo assim toda a oposição, incluindo o pé esquerdo de Catarina Martins, parece ter aproveitado o PEC para brincar às crises políticas, fazendo de conta que há instabilidade política a muito meses de começar o ano eleitoral. Até o próprio Marcelo Rebelo de Sousa decidiu mandar recados. No meio desta confusão, com a Catarina Martins a propor uma resolução que mais parece uma moção de censura, não se percebe se estão testando a coesão dos partidos que apoiam o governo ou a capacidade de sobrevivência de Rui Rio.

Rui Rio mandou o incansável e cansativo Leitão Amaro fazer um comentário arrasador ao PEC, que mais pareceu um comício de abertura da campanha das legislativas. Tudo isto para horas depois ficar no ar que o PSD poderia apoiar o governo com uma abstenção. Isto é, se Catarina Martins pretende sugerir que o governo depende apenas dela, corre um sério risco de dar a Rui Rio a oportunidade de se mostrar como um líder responsável que responde aos apelos de Marcelo. O BE parece estar a querer olear o velho e ferrugento Bloco Central, para que funcione às mil maravilhas na próxima legislatura. Catarina Martins não percebe que não é a sua chantagem que lhe garante o protagonismo.

Primeiro era o Centeno chumbado pela distinta Teodora Cardoso, depois era o Centeno que só numa mentira de 1 de Abril iria para presidente do Eurogrupo, seguiu-se o Centeno a quem uma espécie de encarregado de educação de Belém podia ler os e-mails trocados com um senhor que ia para presidente da CGD, depois surgiu o Centeno das cativações e culpado de todos os males, agora é o Centeno insensível que põe os portugueses a pão e água para se exibir na Europa. 

Rui Rio teve uma ideia brilhante, algo inesperado nele, decidiu formar um governo sombra a que designou por conselho estratégico. Por aquilo que se viu ficamos na dúvida se aquilo é uma sala de espera da consulta de geriatria, uma espécie de governo no exílio ou uma sala de fisioterapia. Muitos deles foram tirados do governo no passado, já estão mais para lá do que para cá e um deles tem alguém mais novo, uma espécie de fisioterapeuta a que designam por porta-voz. São tantos que vão levar vários anos para sabermos quem fala em nome do PSD. A partir de agora sempre que aparecer alguém a falar em nome de Rui Rio não sabemos se é um penetra ou um porta voz de um dos muitos idosos do seu governo sombra.

Não sei qual é o rendimento médio dos cidadãos de Vagos, mas uma coisa é certa, o rendimento médio de Luís Montenegro ganho á custa dos impostos daquele concelho faria deste modesto deputado um dos cidadãos mais ricos do concelho. Depois da encenação do deputado que se sacrificou pelo parlamento e que agora iria fazer pela vida, soube-se que o escritório deste pobre coitado abichou 400 mil euros de avenças naquele pequeno concelho, uma vergonha.



Fonte: http://jumento.blogspot.com/2018/04/semanada_15.html

UMAS NO CRAVO E OUTRAS NA FERRADURA - 15Abr2018 00:00:00



 Jumento do Dia

   
Catarina Martins, líder do BE

As comparações feitas por Catarina Martins apenas revelam mau gosto e oportunismo político.

«A líder do BE, Catarina Martins, avisou hoje o ministro das Finanças para o risco de estar a reeditar os erros dos antecessores do Governo PSD/CDS-PP, ao ir além das metas do défice fixadas com as entidades europeias.

A dirigente bloquista, durante uma conferência nacional sobre o Serviço Nacional de Saúde (SNS), em Lisboa, defendeu a necessidade urgente de maior investimento no setor, sublinhando as folgas orçamentais que têm vindo a acontecer.

"Estrangular o SNS, em nome de décimas de défice, que significam ir além de todos os compromissos com Bruxelas, é repetir os piores erros de Vítor Gaspar e Maria Luís Albuquerque. O que o país precisa é de se preparar para o futuro, saber que tem um SNS que responde ao que a população necessita", afirmou.» [DN]

 Dúvidas que me atormentam a alma

O que é compreender um ataque por parte de três países liderados por um louco, uma idiota e um totó ,que se julgam com poder para atacar quem lhes apetece?

 Cuidado

O MP vai estar atento a quem vai ver o jogo da Luz na tribuna de honra! O melhor é verem o jogo no Benfica TV, senão já sabem, sai uma notícia no Sol, e uns dias depois seguem-se as buscas.

      
 Querem correr com o Centeno a qualquer custo
   
«Há pouco mais de um ano, a 31 de Março de 2017, o Expresso noticiava em manchete que o ministro Mário Centeno estaria a ser sondado para substituir Jeroen Dijsselboem na presidência do Eurogrupo. "Socialistas europeus procuram nome do Sul da Europa para suceder ao holandês na presidência do Eurogrupo. Mário Centeno já foi sondado, mas António Costa não quer ver o seu ministro das Finanças dividido entre Lisboa e Bruxelas", escrevia a jornalista Luís Meireles.

A notícia tornou-se realidade meses mais tarde. No dia 12 de Janeiro deste ano, o português Mário Centeno assumiu o cargo até então desempenhado pelo holandês que ficou conhecido por dizer que os povos do Sul da Europa gastam tudo em "copos e mulheres".

Este sábado, o mesmo semanário avança com uma nova tese sobre o ministro: "Mário Centeno na calha para comissário europeu". O primeiro-ministro considera a ideia, que anteriormente foi defendida na SIC por Marques Mendes, demasiado prematura, mas não a nega peremptoriamente. "Ainda ninguém está a pensar no assunto", disse António Costa ao jornal.» [Público]
   
Parecer:

Agora tentam desvalorizá-lo sugerindo que vai para comissário.
   
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»



Fonte: http://jumento.blogspot.com/2018/04/umas-no-cravo-e-outras-na-ferradura_21.html

O MULTIPLICADOR DO FEIJÃO - 14Abr2018 13:01:00

Há uns tempos vi Francisco Louçã explicar aos portugueses as vantagens de aumentar os rendimentos mais pobres, falando como para crianças de quatro anos o trotskista que graças a António Costa chegou a conselheiro do banco de Portugal, explicava o funcionamento do multiplicador de Keynes, dizia que aumentando os rendimentos dos mais pobres, este iriam consumir produtos de primeira necessidade e isso aumentaria a produção.

Achei alguma graça ver um trotskista empedernido convertido às ideias e ideologia de John Maynard Keynes, como se o economista britânico tivesse sido um dos pilares ideológicos das correntes trotskistas. Não deixa de ser ridículo ver os mais extremistas, ainda que metam o comunismo na gaveta, a defender um dos princípios da chamada ?economia burguesa? que mais marcou o capitalismo do século XX.

Esta ideia de que mal ganham mais uns tostões os pobres vão a correr para a mercearia mais próxima comprar pacotes de feijão, é um estereotipo muito querido aos ideólogos do comunismo nascido nas melhores família das burguesias citadinas. Louçã e outros estão no tempo da revolução industrial e ainda imaginam hordas de operários esfomeados. Numa economia aberta e com os padrões atuais de consumo é bem mais provável que em vez de um multiplicador de feijões o multiplicador de Keynes seja um multiplicador de iPhones e de Samsungs. Desde o aparecimento do famoso Toyota Corola, dos tempos em que se dizia que veio para ficar, que os pobres são um pouco diferentes daqueles que andam na imaginação do líder trotskista.

A ideia de que grandes défices são sinais de políticas progressivas e que uma bancarrota conseguida graças a investimento e aumentos salariais é um passo no sentido do céu, partindo-se no pressuposto que depois se reestrutura a dívida, deixa-se de pagar o que se deve, mete-se a dívida soberana a zeros e volta-se ao mesmo é uma quimera de líderes irresponsáveis que nem sabem o que é sem pobre, nem fazem a mais pequena ideia do que as crises custam aos mais pobres e à classe média.

È graças a estes ideólogos do multiplicador de feijão que a direita tem a oportunidade de promover retrocessos sociais de décadas, graças a sucessivas crises financeiras que destroem muito do pouco que se consegue destruir. Catarina Martins, Louçã e outros ainda não perceberam que o povo português está farto de crises, para além de ser uma mentira que grandes défices melhoram os rendimentos dos menos ricos. O que melhora o rendimento de todos é criar mais riqueza e distribuí-la de forma justa e equitativa.


Fonte: http://jumento.blogspot.com/2018/04/o-multiplicador-do-feijao.html

UMAS NO CRAVO E OUTRAS NA FERRADURA - 14Abr2018 00:00:00



 Jumento do Dia

   
Tomás Correia presidente da Associação Mutualista Montepio Geral

Com a Gulbenkian a desistir da venda da PARTEX aos chineses da CEFC se algo correr mal com o negócio da seguradora do Montepio a esta empresa o presidente da Associação Mutualista Montepio Geral vai ter de dar algumas explicações.

«A venda do Montepio Seguros à CEFC China Energy continua de pé. Apesar de a Fundação Calouste Gulbenkian ter decidido pôr termo à negociação que decorria com os chineses da CEFC para a venda da Partex devido à ?incapacidade desta empresa em esclarecer cabalmente? a sua situação, CEFC e Associação Mutualista garantem que continuam os contactos com vista à conclusão do negócio.

?A CEFC continua em contactos com a Associação Mutualista Montepio Geral e com a Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões sobre o processo?, afirma fonte oficial da Associação Mutualista, dona do Montepio Seguros, ao ECO, quando questionada sobre o ponto de situação da operação no seguimento da desistência da Gulbenkian na venda da Partex aos chineses. Até agora, não foi possível obter uma resposta da ASF.

A Fundação Calouste Gulbenkian explicou, num comunicado, que ?na sequência das notícias recentes vindas a público sobre a situação do grupo chinês e face à incapacidade desta empresa em as esclarecer cabalmente junto da Fundação, concluiu-se que não existem condições para continuar as conversações?. O ECO sabe que a Associação Mutualista também pediu esclarecimentos à CEFC. Porém, do lado chinês não tem surgido qualquer resposta, razão pela qual há agora muitas dúvidas de que o negócio vá mesmo para a frente.» [Eco]



Fonte: http://jumento.blogspot.com/2018/04/umas-no-cravo-e-outras-na-ferradura_14.html

MANUAL DA OPOSIÇÃO INCOMPETENTE - 13Abr2018 13:00:00

Regra 1 SÃO OS GOVERNOS QUE SE JOGAM AO CHÃO

Em Portugal criou-se a ideia de que são os governos que caem, levando as oposições a ignorar a necessidade de apresentarem uma alternativa. Os partidos da oposição comportam-se como forças de guerrilha que têm por obetivo ferir o inimigo a qualquer custo. Aos olhos dos eleitores isto significa a ausência de alternativas.

A exceção a esta regra foi a apresentação dos cenários macroeconómicos por um grupo de economistas liderado por Mário Centeno. Só que a oposição está presa a uma política e é incapaz de se demarcar das opções extremistas de Passos Coelho.

REGRA 2 LER OS JORNAIS DA MANHÃ PARA TER ARGUMENTOS À TARDE

Se nos últimos meses eliminarmos os debates políticos promovidos pela oposição com base em notícias de jornais percebemos que a maioria dos nossos políticos em vez de estudarem o país preferem esperar que sejam os jornalistas a darem-lhes argumentos. Líderes como Assunção Cristas, Rui Rio ou Catarina Martins dizem à tarde o que leram nos jornais durante a manhã.

REGRA 3 NÃO LARGAR O OSSO

Seja qual for o governo é inevitável que o SNS seja notícia, ou há problemas numa urgência, nalgum hospital surge a legionella, nalguma urgência morre alguém. Mas isso sucedeu com este governo logo se descobriu que tudo o que de mal sucedia era prova da continuação da austeridade. Catarina Martins teorizou e descobriu que o problema era das cativações, o mau da fita era o Centeno. Agora que não há cativações e aumentou a despesa é o Centeno que devia investir mais, mas recusa-se a fazê-lo para brilhar.

Há mais de dois anos que Cristas, Passos e depois Rio e Catarina Martins não largam o osso, cada vez que alguém se engasga com um osso, apanha uma gripe ou tem uma diarreia depois de abusar de figos torrados a culpa é inevitavelmente do Mário Centeno.

REGRA 4 DERRUBAR O ELO MAIS FORTE

O raciocínio é primário, se um ministro brilha, então, é esse que deve ser atacado. É um princípio idiota já que seria bem mais fácil derrubar um ministro fraco do que um que tenha prestígio. Quando as boas notícias vinham do aumento do emprego a oposição tentou derrubar o ministro do Trabalho, agora que o sucesso está no défice há que derrubar Centeno.

Tudo isto revela estupidez, o único ministro que caiu por ser frágil foi a ex-ministra da Administração Interna, mas neste caso a oposição ficou a apanhar bonés. Andava tão distraída a inventar mortos por suicídio que foi Marcelo a empurrar a ministra pela borda fora.


Fonte: http://jumento.blogspot.com/2018/04/manual-da-oposicao-incompetente.html

UMAS NO CRAVO E OUTRAS NA FERRADURA - 13Abr2018 00:00:00



 Jumento do Dia

   
Rui Rio

Rui Rio decidiu criar um governo sombra, mas pelo pouco que se vai sabendo aquilo é mais uma sombra de governo do que algo que mereça alguma atenção, dir-se-ia mesmo que mais parece um conselho de idosos do PSD, só lá não vaio estar Cavaco Silva porque era demais.

Rui Rio tenta manter a composição em segredo e vai arrastando a escolha dos distintos candidatos a ministros, mas pelos nomes que vai deixando escapar é de recear que a iniciativa morre à nascença,para não sugerir que morre pela velhice dos seus membros.

Desde que chegou a líder que Rui Rio não pára de fazer asneiras.

«O líder do PSD disse querer manter os nomes em segredo durante o processo, mas vários foram os nomes que foram sendo revelados à comunicação social, segundo o próprio por outras fontes que não Rio. O líder do PSD deu apenas como certo o nome de Arlindo Cunha, ex-ministro de Cavaco Silva, que vai coordenar a área da Agricultura, e o de David Justino, ex-assessor de Cavaco na Presidência da República e atual vice-presidente do PSD, que vai coordenar os coordenadores, na qualidade de presidente do Conselho Estratégico Nacional.

Não se conhecem, para já, nomes de mulheres, havendo muitas críticas internas sobre a média avançada de idades dos ?ministros? escolhidos ? e do passado que trazem às costas, muitos deles ligados aos governos de Cavaco Silva.

A verdade é que os próprios envolvidos foram confirmando os convites à comunicação social. É o caso de Ângelo Correia, ex-ministro da Administração Interna no início da década de 80, que confirmou ao jornal Eco que iria ser o ?ministro? de Rio para a área da Defesa. Desde a zanga com Passos Coelho ? de quem chegou a ser uma espécie de conselheiro ? que Ângelo Correia não participava na vida interna do PSD. E, mesmo aí, era uma ligação mais a nível pessoal do que política. Para encontrar um cargo partidário é preciso recuar à presidência de Luís Filipe Menezes: Ângelo Correia foi presidente da Mesa do Congresso entre 2006 e 2007.» [Observador]

      
 Ratos com pedrada
   
«Qual é a explicação para o desaparecimento de meia tonelada de marijuana de um armazém da polícia argentina? Os ratos comeram a droga. Foi esta a justificação insólita dos oito agentes da autoridade que foram despedidos depois de se perceber que faltavam 540 quilogramas de marijuana do armazém da cidade de Pilar, a 60 quilómetros de Buenos Aires.

Há dois anos, tinham dado entrada no armazém seis toneladas de marijuana, mas após uma auditoria, a polícia argentina percebeu que uma significativa quantidade de droga tinha desaparecido. Faltava meia tonelada.

De acordo com o The Guardian, o principal suspeito é o antigo comissário da polícia na cidade de Pilar, Javier Specia. Ele não terá assinado o inventário relacionado com a apreensão de droga quando deixou o cargo em abril do ano passado. O seu sucessor, o comissário Emilio Portero, foi quem deu pela falta dos 540 quilogramas de marijuana do armazém. Notificou a divisão dos assuntos internos da polícia.» [DN]
  
 A Alemanha não alinha
   
«A chanceler alemã declarou esta quinta-feira que a Alemanha "não participará" numa eventual intervenção militar contra a Síria em represália pelo uso de armas químicas por parte do regime do Presidente sírio, Bashar al-Assad.

Numa conferência de imprensa em Berlim, ao lado do primeiro-ministro dinamarquês, Lars Lokke Rasmussen, Angela Merkel ressalvou, porém, que para Berlim "o uso de armas químicas é inaceitável".» [DN]
   
Parecer:

Só o Macron alinha com o Boris e o Trump.
   
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»

 Um piropo para Carlos Alexandre
   
«Na fase de cumprimentos, antes da sua intervenção, a governante, com algum sentido de humor, afirmou que era um trabalho "duro e difícil" mas que Carlos Alexandre era "um homem resistente, apesar de estar mais magro". "Se calhar até significa que está mais animado. Gordura não é sinal de felicidade", afiançou.» [DN]
   
Parecer:

Uma governante com sentido de humor.
   
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «Dê-se a merecida gargalhada.»

 Pode ser que o Bruno de Carvalho mude
   
«Já se sabia que a chegada de um filho causava uma série de transformações químicas nos cérebros das progenitoras ? razão que leva a que tanto se fale no chamado instinto maternal ?, mas um novo estudo veio revelar que isto também acontece com os machos. O artigo científico foi publicado esta quarta-feira na revista Nature e mostra que existe uma transformação nos machos que surge com a paternidade ? não em humanos, mas em ratinhos de laboratório.

Nos ratinhos, os cientistas descobriram uma espécie de circuito de paternidade, formado por células de diferentes partes do cérebro que activam mudanças hormonais e comportamentais nos machos, fazendo com que estejam mais predispostos a tomar conta das suas crias ? sem que haja uma recompensa directa ou imediata resultante dessa atitude de protecção, refere o estudo.» [Público]
   
Parecer:

Quem torto nasce...
   
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «Esperemos que não mude para benfiquista.»

 Bruno vai poupar nos assobios
   
«Com os ânimos em Alvalade já bem mais calmos depois da(s) tempestade(s), havia a dúvida sobre a presença ou ausência de Bruno de Carvalho no banco da equipa, esta noite, frente ao Atlético de Madrid.

É que o presidente do Sporting fez questão de ir para o banco no passado fim de semana, frente ao Paços de Ferreira, e ainda ouviu vários assobios dirigidos a si a partir das bancadas (e depois pediu, em conferência de imprensa inusitada, que não o insultassem).

Mas, esta noite, Bruno de Carvalho não estará nem no banco, nem na bancada de Alvalade. O presidente está, esta quinta-feira, no hospital, a acompanhar a mulher depois do nascimento da filha de ambos, e irá ver o jogo da equipa pela televisão, confirmou uma fonte oficial do Sporting à Tribuna Expresso.» [Expresso]
   
Parecer:

Parece que anda melhor aconselhado.
   
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «Sorria-se.»



Fonte: http://jumento.blogspot.com/2018/04/umas-no-cravo-e-outras-na-ferradura_13.html

ELEITORALISMO, DIZIAM ELES - 12Abr2018 13:00:00

Ainda estávamos em 2017 e à falta de ideias os partidos da direita, com o CDS  liderado pela espalhafatosa Assunção e o PSD ainda a marcar passos, desencadearam uma  campanha acusando o governo de eleitoralismos em ? 2019. A campanha teve tanta importância que até Marcelo Rebelo de Sousa veio tomar posição sobre o assunto, fazendo avisos ao governo.

Agora assistimos ao momento mais insólito na história da política económica em Portugal, um governo em vez de ser acusado de esbanjar em ano eleitoral é acusado precisamente do contrário, de ser ainda mais rigoroso. O espetáculo é tão divertido que Centeno, que quando andou pela UEC ainda não comia criancinhas, é agora acusado de as deixar morrer nos corredores dos hospitais. Até um administrador hospitalar do Porto, que certamente nunca tinha reparado nos problemas do seu hospital, veio a público, com ar condoído, lamentar o destino das crianças.

A lógica da direita tem a dignidade intelectual da batata, se não pode dizer, mesmo com a ajuda de sumidades como a Teodora, que Centeno falhou o vai falhar, há que o atacar de outra forma, até o Daniel Bessa, outra das nossas sumidades, tentou dar a sua ajudinha, convencido de que os seus dotes intelectuais estão acima do conhecido tubérculo que faz um puré bem melhor do que as papas de mioleira que resultariam do homem que anda há décadas a fazer render o estatuto de ?ex-ministro do PS?.

Afinal os sucessos económicos do país não contam, não devem ser elogiados. Antes pelo contrário, devem ser condenados porque são conseguidos porque Mário Centeno, aquele que de tão desastrado levou Passos Coelho às lágrimas da primeira vez que foi ao Parlamento, é um ambicioso, que se for necessário mata criancinhas para ser elogiado em Bruxelas. Agora que não há cativações até o Bloco de Esquerda está preocupado com as criancinhas e pergunta a Centeno o que é mais importante, reduzir o défice ou não deixar morrer os meninos.

Resumindo, a oposição tem alguma graça, dantes acusavam o governo de se estar a preparar para ser eleitoralista, agora dizem que assim não brincam e exigem que o governo se lembre do anúncio do Restaurador Olex, um governo rigoroso e uma oposição eleitoralista não é normal, o que é normal é o governo esbanjar para a oposição poder exigir rigor. A bagunça é tanta que até a deputada Mariana Mortágua se arrisca a contracenar com Rui Rio numa edição atualizada do produto milagroso no tratamento dos nossos problemas capilares. 


Fonte: http://jumento.blogspot.com/2018/04/eleitoralismo-diziam-eles.html

UMAS NO CRAVO E OUTRAS NA FERRADURA - 12Abr2018 00:00:00



 Jumento do Dia

   
Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República

Entende-se que um Presidente da República esteja preocupado e apele a que se evitem crises políticas, tem razão ao opinar que as crises têm custos económicos e que num país com problemas não são uma boa ideia. Mas defender que não se faça política com o orçamento é um exagero.

Muitas das dificuldades dos portugueses que o leva a ser contra as crises políticas resultam de injustiças que só podem ser combatidas pela política. Se é verdade que as consequências de crises políticas podem agravar as injustiças, também é certo que sem luta política dificilmente se onseguem conquistas sociais. Mas o que não é aceitável de um todo é que um Presidente da República apela a que não se faça política com o orçamento.

Antes de mais, porque passa a ideia de que fazer política em democracia é algo inútil, defender que não se faz política com coisas importantes é sugerir que a política é um exercício que só serve para perturbar e fazer atrasar o país, isso é inaceitável.

«Presidente da República apela a que não haja tentações de fazer política envolvendo o Orçamento do Estado para 2019. Para Marcelo Rebelo de Sousa ?uma crise política é indesejável, e uma crise política envolvendo o Orçamento do Estado é duplamente indesejável?.

Para Marcelo, que falava na abertura do Congresso da CIP ?O valor das empresas? que tem lugar, esta quarta-feira, referiu que a discussão à volta dos orçamentos tem sido, ano após ano, de ?grande intensidade? e a de 2019, ano eleitoral ?será ainda mais intensa?. No entanto, Marcelo acredita que ?todos os intervenientes estão conscientes da importância de termos o orçamento aprovado?.

Esta não é a primeira vez que o chefe de Estado defende que uma crise política não é desejável para Portugal e na promulgação do Orçamento do Estado para 2018 já deixou mesmo avisos sobre os riscos de eleitoralismo na reta final da legislatura. Porém, as declarações de hoje de Marcelo ganham importância reforçada numa altura em que o Governo atualiza o Programa de Estabilidade, onde revê em baixa a meta do défice para este ano ? dos 1,1% aprovados no Orçamento do Estado para 2018 para 0,7% do PIB, tal como o ECO avançou em primeira mão.» [Eco]

      
 SCP não vai cumprir com o empréstimo obrigacionista
   
«A SAD leonina quer adiar o pagamento da dívida que vence já no próximo dia 25 de maio para uma data posterior, isto por causa da turbulência que se vive no clube desde a passada quinta-feira. Presidente e jogadores e sócios estão de costas voltadas na sequência da troca de acusações nas redes sociais e o clima de guerra instalado em Alvalade veio prejudicar a oferta de obrigações que estava para ser lançada no próximo mês ? era com este dinheiro que o Sporting ia pagar a emissão antiga que vence agora.

Sem uma nova operação para refinanciamento da dívida, a atual administração liderada por Bruno de Carvalho pretende agora chamar os obrigacionistas para uma assembleia geral onde vai propor que eles sejam reembolsados não no dia 25 de maio mas numa data nunca antes de novembro de 2018.» [Eco]
   
Parecer:

Isto não é bom para nenhuma empresa e muito menos para uma SAD desportiva. Há uns tempos o presidente do SCP sugeria que eram os contribuintes que pagavam as dívidas do SLB, tentando que as suas dívidas aos bancos fossem tratadas como imparidades, agora e só pelo prazer de escrever asneiras no facebook arrisca-se a atirar o seu clube contra a parede.
   
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «Espere-se para ver o que sucede e como reagem os ban cos.»
  
 Argumento cristão
   
«O presidente executivo da Caixa Geral de Depósitos, Paulo Macedo, considera ?contranatura? a proposta legislativa para obrigar os bancos a aplicarem os juros negativos no crédito à habitação, mas garantiu que cumprirá caso seja lei.

?A questão relativa aos juros negativos é contranatura. Há até uma medida bastante discutível do ponto de vista legal?, disse o presidente da Comissão Executiva da CGD, no Porto, no final do ?XV Encontro Fora da Caixa?, que assinala o 142.º aniversário da instituição.

Juros negativos no crédito põem em causa ratings dos bancos

Paulo Macedo apontou imprecisões à medida avançada pelo Bloco de Esquerda mas assumiu que ?se a legislação vier nesse sentido a Caixa cumprirá?.

Insistiu, contudo, que ?seria estranho um responsável de um banco concordar com algo que afete negativamente um banco, designadamente os juros negativos, porque estamos a falar de quem empresta ter um juro negativo?.» [Eco]
   
Parecer:

Se Paulo Macedo acha que os juros negativos são contranatura, usando um termo muito querido às nossas boas almas cristãs e piedosas, como explica os juros negativos da dívida soberana alemã?
   
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «Pergunte ao opus banqueiro.»

 Este quer ganhar protagonismo à custa de Centeno
   
«Daniel Bessa, ex- ministro da Economia, desmontou esta tarde, no Porto, o artigo de opinião de Mário Centeno publicado ontem no Público, em que este considera que a economia portuguesa passa por um bom momento. Bessa que falava perante uma plateia repleta de empresários, no âmbito do XV encontro Fora da Caixa, da Caixa Geral de Depósitos começou por dizer que o facto de Portugal estar melhor é ?motivo para nos congratularmos?, mas não é motivo para concluirmos que este é o melhor crescimento de várias décadas. Isso, acrescentou, ?é um exagero, é excessivo e perigoso?. É um discurso político ?hiperbólico, que introduz um sentido de mediocridade porque pede pouco?.

?Este governo está a mostrar uma durabilidade e consistência inesperadas?

O economista que se mostrou perplexo com as reações que os dados mais recentes da economia portuguesa têm despertado, referiu que é preciso não esquecer que em 28 países ?19 cresceram mais do que nós?. Para Bessa é um facto que economia portuguesa está melhor, mas ?não tanto como se julga?.

Para provar o que diz, Bessa pega noutro argumento de Centeno, o que evoca o crescimento do PIB de 2,7% e o do emprego de 3,2%. Para o economista, ?isto é mau?. E acrescenta: ?mau porque quando uma economia está saudável, o PIB cresce mais do que o emprego?.» [Eco]
   
Parecer:

É triste fazer uma carreira à custa da designação de "ex-ministro", quando esteve no cargo apenas um par de meses, tendo acabado por sair pela porta pequena. Este tipo de ataques a Centeno servem apenas para que Bessa ganhe likes na direita, o que não admira pois foi um dos apoiantes mais fieis de Passos Coelho.
   
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «Vomite-se.»

 Esse Centeno é um malandro
   
«A presidente do CDS-PP acusou hoje o ministro das Finanças de não ter "nenhuma sensibilidade, nenhuma humanidade" para a saúde, defendendo que os centristas vão "esperar para ver" a concretização das obras no hospital de São João.

"Vamos esperar para ver. Foi preciso um grande alarde público para arrancarmos do ministro das Finanças uma declaração de que vai resolver. Estaremos atentamente a exigir essa resolução", disse Assunção Cristas aos jornalistas sobre a garantia dada por Mário Centeno no parlamento de que as obras na ala pediátrica do hospital de São João, no Porto, vão avançar.

A líder do CDS-PP assinalou hoje o dia internacional de doença de Parkinson com um encontro com a Associação Portuguesa da Doença de Parkinson, acompanhada pela deputada Isabel Galriça Neto, reiterando a necessidade de uma estratégia nacional para as demências e da regulamentação do estatuto do cuidador.» [Expresso]
   
Parecer:

De sensibilidade e humanidade entende a Cristas.
   
Despacho do Diretor-Geral do Palheiro: «Dê-se a merecida gargalhada.»



Fonte: http://jumento.blogspot.com/2018/04/umas-no-cravo-e-outras-na-ferradura_12.html

O ESQUEMA - 11Abr2018 13:00:00

Há poucos dias Luís Montenegro foi homenageado no parlamento aquando da sua última presença no hemiciclo, de onde partiu para uma carreira na advocacia. Ficou no ar que ao longo de mais de uma década o dirigente do PSD se tinha sacrificado pela democracia e que, finalmente, ia ganhar um pouco mais na sua carreira de advogado. 

Se não conhecesse a podridão que vai por aí, até ficaria com pena do Montenegro, apesar de ser comum desvalorizar o trabalho dos deputados o vencimento destes políticos, mesmo acrescido de algumas alcavalas por conta de marotices como a residência ou a dedicação exclusiva, não pagam o muito trabalho de um parlamentar que seja dedicado.

Mas a verdade é que em Portugal  há um imenso esquema esquema que os ajuda a viver muito acima da carne seca, não admirando que mal deixam cargos públicos alguns dos nossos políticos correm para escritórios de advogados. As máquinas partidárias assentam numa rede de autarcas cuja ascensão aos cargos depende dos figurões nacionais, por sua vez o poder destes depende dos senhores da guerra regionais que os apoiam. É por isso que há muitas figuras partidárias que têm lugar nos conselhos nacionais ou que aparecem com frequência nas televisões, apoiam líderes ou candidatos a líderes, marcam presença nos congressos, mas nunca se candidatam à liderança.

Muitos destes dirigentes querem marcar presença para terem poder no imenso tráfico de influência que existem dentro dos partidos na hora de escolher candidatos a deputados ou a autarcas. Todos os senhores da capital contam com apoiantes a nível local e regional, por sua vez  os senhores locais contam sempre com um padrinho na capital. Tudo isto se paga, os autarcas asseguram o apoio do partido às suas candidaturas, os senhores de Lisboa recebem centenas de milhares de euros em avenças pagas pelas autarquias, em regra a escritórios de advogados.

É por isso que há pequenos concelhos que pagam tantas centenas de milhares de euros a escritórios de advogados que mais parecem pequenos ministérios da justiça. A melhor forma de dar centenas de milhares de euros a alguém sem ter de prestar contas é com uma avença a um escritório de advogados, não há como questionar a escolha do escritório ou como questionar o serviço prestado, já que uma consultoria jurídica pode traduzir-se em meros esclarecimentos telefónicos.

O último deputado a ser notícia foi Montenegro, Em quatro anos o seu escritório assinou quatro contratos de ajuste direto com a câmara municipal de Vagos, presidida pelo PSD, a troco de 400.000 euros. Que grandes problemas jurídicos terá o município de Vagos, com pouco mais de 20.000 habitantes, para em quatro anos gastar 400.000 euros com o escritório de advogados de Luís Montenegro? 

Em Portugal há 308 concelhos, é só fazer as contas. É uma questão de identificar as personagens dos partidos, deputados, comentadores televisivos, dirigentes nacionais ou ?senadores?, com posições em escritórios de advogados e procurar pelos pagamentos das autarquias aos seus escritórios de advogados. Ficamos a saber que os contribuintes gastam muito mais com estes senhores do que com os vencimentos dos deputados ou dos membros do governo.


Fonte: http://jumento.blogspot.com/2018/04/o-esquema.html

UMAS NO CRAVO E OUTRAS NA FERRADURA - 11Abr2018 00:00:00



 Jumento do Dia

   
Luís Montenegro, ex-deputado

Agora que senti alguma admiração por Montenegro, ao pensar que durante tantos anos tinha sido um modesto deputado, fico a saber que, afinal, o deputado de Passos Coelho também comia na manjefoura autárquica, beneficiando de um esquema montado ao nível nacional, que permite às personalidades influentes dos grandes partidos ganhar centenas de milhares de euros a fazerem de juristas das câmaras.

Um esquema que permite um negócio entre os dirigentes e as bases dos partidos, os primeiros patrocinam as carreiras dos autarcas e estes retribuem com avenças chorudas.

«Entre 2014 e 2018, a sociedade de advogados Sousa Pinheiro & Montenegro (detida em 50% pelo deputado do PSD) obteve 10 contratos por ajuste direto das câmaras municipais de Espinho e Vagos, ambas lideradas pelo PSD, perfazendo um valor total de 400 mil euros. Subcomissão de Ética analisou o caso e concluiu que não configurava uma situação de "impedimento" para o deputado-advogado.

Ao mesmo tempo que exerceu os sucessivos mandatos de deputado à Assembleia da República, entre 2002 e 2018, Luís Montenegro prosseguiu a atividade paralela de advogado na firma Sousa Pinheiro & Montenegro, sendo detentor de 50% do respetivo capital social. Entre fevereiro de 2014 e janeiro de 2018, de acordo com os dados registados no portal Base, a firma de Montenegro celebrou 10 contratos por ajuste direto com as câmaras municipais de Espinho (seis) e de Vagos (quatro), ambas lideradas pelo PSD, faturando um valor total de 400 mil euros (média de 100 mil euros por ano).

O contrato mais recente data de 8 de janeiro de 2018, adjudicado pela Câmara Municipal de Espinho, visando a ?aquisição de serviços de assessoria e informação jurídicas? por 54 mil euros. Cerca de três semanas antes, no dia 20 de dezembro de 2017, a mesma Câmara Municipal de Espinho tinha celebrado outro contrato por ajuste direto com a mesma Sousa Pinheiro & Montenegro, visando ?serviços de representação jurídica? por 72 mil euros. Na semana anterior, a 15 de dezembro de 2017, tinha sido a Câmara Municipal de Vagos a contratar a Sousa Pinheiro & Montenegro por ajuste direto, visando a ?aquisição de serviços de assessoria jurídica e representação em juízo? por 74.700 euros.

A atividade paralela de Luís Montenegro (que renunciou ao mandato de deputado na semana passada, abandonando a Assembleia da República) foi um dos oito casos analisados pela Subcomissão de Ética em março de 2017, na sequência de uma investigação do Jornal Económico. Nessa altura, a Sousa Pinheiro & Montenegro ainda só tinha firmado seis contratos por ajuste direto com as referidas câmaras municipais, faturando cerca de 188 mil euros. Desde então esse valor mais do que duplicou para 400 mil euros.» [Jornal Económico]



Fonte: http://jumento.blogspot.com/2018/04/umas-no-cravo-e-outras-na-ferradura_11.html